Os riscos e os benefícios do uso da Cinta Modeladora

Os padrões de beleza entre os seres humanos estão sempre na aparência física e dificilmente no brilho interior das pessoas. A indústria da moda e da estética floresce e acumula lucros elevadíssimos com a criação de apetrechos que promovem soluções rápidas de emagrecimento. Muitos realmente acreditam que beleza é somente uma questão de estética!

cinta modeladora

O antecessor da Cinta Modeladora

Nos anos remotos as mulheres usavam vestidos longos e pesados, definindo as linhas da cintura e do colo. Eram camadas e mais camadas de roupas especialmente desenhadas para realçar a beleza feminina. Uma destas peças imprescindíveis no guarda roupa de qualquer donzela era o espartilho.

O espartilho era uma peça de vestuário que se assemelhava a um colete regulável, ou melhor, ajustável, usando fios resistentes que se cruzavam para manter uma pressão constante na região abdominal, diminuindo assim muitas medidas de gordurinha localizada.

Este era o predecessor das atuais cintas modeladora que prometem resultados milagrosos e a diminuição instantânea de muitos tamanhos de figurino.

Conheça os riscos do uso das cintas modeladoras

Apesar da beleza exuberante de muitas atrizes e celebridades que confessam o uso das cintas para manter a figura esbelta, os riscos para a saúde podem ser sérios e devem ser levados em consideração.

Um dos maiores riscos está associado à pressão constante na região do abdômen, comprimindo músculos essenciais para a respiração, e até sustentação da coluna vertebral. Muitas celebridades retiram as costelas que consideram como sendo extras e passam a fazer uso constante das cintas modeladoras para uma cintura bem mais fina.

Normalmente não há prescrição médica para o seu uso estético, portanto a intensidade da pressão não é observada. Isso pode causar ferimentos na pele, criar excesso de tecidos em cicatrizes e até impedir a circulação sanguínea na região abdominal e pulmonar, provocando efeitos nefastos nas varizes.

O corpo humano usa uma combinação de estrutura óssea, rede muscular, neural e sanguínea para todas as suas atividades físicas. O uso das cintas modeladoras interrompe o fluxo de sangue, a absorção de oxigênio pelos vasos, impedindo a oxigenação do cérebro.

O uso das cintas não promove o emagrecimento real, ou seja, a verdadeira perda de peso. Ela facilita um aspecto artificial mais estético que não auxilia em nada na queima de gorduras localizadas. É uma imagem falsa de um perfil saudável.

Os danos em alguns casos do mau uso da cinta podem ser irreversíveis. O corpo humano faz uso de um sistema de músculos que depende de exercícios constantes. Uma atrofia provocada pelo uso duradouro das cintas pode deixar sequelas de desvios ósseos e até problemas na coluna vertebral.

Recomendações

Apesar da não prescrição médica para efeitos estéticos, o uso das cintas modeladoras pode ser administrado com um certo grau de sensatez. Considerando os riscos, é aconselhável que o uso não se prolongue por mais de 4 horas seguidas.

Fique sempre atento ao fato de que a pressão pode alterar o ritmo da cadência respiratória. Desenvolva uma atividade constante de respiração profunda quando estiver usando a cinta.

Evite usar a cinta de maneira muito apertada, lembrando que isso afeta a respiração, o fluxo sanguíneo e, se houver ingerido alimentos, até prisão de ventre pode resultar do uso negligenciado da cinta modeladora. Nas acadêmicas, enquanto estiver exercitando, use o bom senso para identificar o seu nível de conforto.

A qualidade do produto é bem variada, faça experiências para identificar aquele que não traga risco de maiores danos, além do nível de pressão em seu abdômen. Confira sempre os fechos e o material usado. Opte sempre por uma qualidade superior, afinal é a sua vida que está em risco. Mais esbelta, mas é ainda a sua vida!

Deixe seu comentário